O Surfista Prateado de Moebius


E lá se vão 23 anos! Em 1988 a Marvel lançou uma pequena obra-prima dos quadrinhos: com texto de Stan Lee e desenhos do mestre Jean Giraud, conhecido também como Moebius, surge a graphic novel Silver Surfer: Parable, que chegou ao Brasil em maio do ano seguinte pela Editora Abril. Ao contrário da capa americana, a edição especial brasileira não teve o título Parábola em destaque na capa. A revista saiu apenas com o nome do personagem: Surfista Prateado. Era o número 11 da série Graphic Novel.  Quando Lee teve a idéia de convidar Moebius para desenhar uma história para a Marvel ele sabia exatamente o que esperar de seu traço limpo e qual personagem dar ao grande desenhista da Metal Hurlant. Esqueça as explosões e onomatopéias fantásticas comuns ao Universo Marvel. Moebius coloca seu estilo sofisticado a serviço de um personagem contemplativo, perfeito para seu desenho e a beleza de seu trabalho honrou a criação de Jack Kirby. Os dois desenhos publicados nesta postagem são detalhes extraídos da edição brasileira e podem ser ampliados em boa resolução. Para saber um pouco mais sobre essa edição, leia o texto publicado neste blog.

Anúncios

O horror alienígena de Giger e Ridley Scott

CLIQUE PARA FAZER O DOWNLOAD DESTE WALLPAPER COM A ARTE DE H.R.GIGER
Ridley Scott conheceu a arte exuberante e claustrofóbica de H.R.Giger quando Dan O’Bannon, escritor e co-produtor de Alien – O Oitavo Passageiro, deu ao diretor o livro Necronomicon. CLIQUE PARA FAZER O DOWNLOAD DESTE WALLPAPER COM A ARTE DE H.R.GIGERInstantaneamente ele percebeu que estava ali o artista que poderia criar a mais aterradora criatura jamais apresentada em um filme de horror espacial. O criativo trabalho de Giger deu ao público uma experiência inédita até então. “O mundo jamais havia visto nada parecido antes”, declarou Scott na introdução do livro H.R.Giger’s Film Design, de 1996. “Seu trabalho contribuiu significamente para o sucesso comercial do filme”.

Mas é claro que a direção extraordinária de Ridley Scott elevou o filme a um nível excepcional. CLIQUE AQUI PARA FAZER O DOWNLOAD DESTE WALLPAPER COM A ARTE DE H.R.GIGEREle criou uma atmosfera opressiva e repleta de tensão e o experiente elenco também acrescentou ao filme a dramaticidade que fez valer o slogan “No espaço ninguém pode ouvir seus gritos“. Além disso, a produção também revelou para o mundo o talento de Sigourney Weaver em seu primeiro papel de destaque (Alien foi apenas seu terceiro filme para cinema). 

Como se não bastasse, Alien – O Oitavo Passageiro também contou com o talento de um dos maiores desenhistas de histórias em quadrinhos do mundo: Jean Giraud ou Moebius, como é mais conhecido entre os fãs de ficção-científica, devido ao trabalho que ele desenvolvia na lendária CLIQUE AQUI PARA FAZER O DOWNLOAD DESTE WALLPAPER COM A ARTE DE H.R.GIGERrevista francesa Metal Hurlant. Moebius foi o desenhista responsável pela concepção artistica da produção.

Com essa reunião de talentos, e a criativa visão de Ridley Scott a partir da arte inovadora de H.R.Giger – premiada com o Oscar de Efeitos Visuais – Alien – O Oitavo Passageiro marcou para sempre o cinema de ficção científica, e seu sucesso alavancou a carreira do diretor, que em seu próximo filme criaria um novo clássico do gênero: Blade Runner – O Caçador de Andróides. Mas, esta é uma outra história.

Leia mais sobre H.R.Giger, os filmes em que emprestou o seu talento e a falta de reconhecimento da CLIQUE PARA FAZER O DOWNLOAD DESTE WALLPAPER COM A ARTE DE H.R.GIGERFox, que não o integrou à equipe das novas produções de Alien.

As cinco imagens que ilustram este texto são wallpapers que produzi a partir de desenhos de Giger para o filme Alien. Para baixar esses wallpapers, clique em nelas. Faça o download de mais papéis de parede do Alien de Giger, clicando aqui. Baixe wallpapers com a arte de Moebius, aqui.

De Fellini para Moebius

Desenho de Moebius - Clique para baixar este wallpaperEm 1981, a fantástica revista Heavy Metal – versão americana da original francesa Metal Hurlant – lançou uma edição especial com trabalhos de um dos maiores desenhistas de quadrinhos do mundo, dono de um traço inconfundível e refinado. Seu nome: Jean Giraud ou Moebius. Nessa edição especial foi publicada uma carta que o inesquecível diretor de cinema Federico Fellini escreveu para o desenhista durante as Desenho de Moebius - Clique para baixar este wallpaperfilmagens de A Cidade das Mulheres. Na mensagem Fellini, que também gostava de desenhar, demonstra sua reverência para com o trabalho do quadrinista e pergunta porque ele não é, também, diretor de cinema. Moebius nunca dirigiu um filme, mas já colaborou com algumas produções que comentarei em breve neste blog. As imagens que ilustram este texto são papéis de parede que fiz com suas ilustrações. Clique nelas para baixá-los.
Leia abaixo a carta do mestre do cinema:

Roma, 23 de junho de 1979 

Meu caro Moebius,

Tudo o que você faz me encanta, até mesmo o seu nome me encanta. No meu Casanova, chamei de Moebius o personagem de um velho médico, um homeopata, meio mágico, meio bruxo: foi uma maneira de mostrar minha simpatia, minha gratidão, pois você é formidável e eu não tenho tempo de lhe dizer o quanto e por quê.

Desenho de Moebius - Clique para baixar este wallpaperEstou rodando na cadência febril de sempre, ou, talvez, desta vez, um pouco mais febrilmente que de costume, pois às vezes tenho a impressão que ainda não comecei este filme, outras vezes me parece já tê-lo acabado há muito tempo: assim, vivo como que suspenso dentro de um de teus universos tortuosos, semgravidade.

Enviar-te esta carta apressada e desordenada, eu lamento, pois a alegria e o entusiasmo que me dão seus desenhos, exigiriam de mim maior precisão, e que eu te dissesse tudo, já e de uma só vez. Deixa-me te dizer, ao menos, que descobrindo o que tu fazes e o que fazem teus companheiros da Metal Hurlant, imediatamente reencontrei este sentimento pungente: face a um encontro maravilhoso que nos é periodicamente prometido, que eu só havia conhecido quando criança, entre dois números de Giornalino della Domenica, que traziam as Aventuras de Happy Hoologan e dos Sobrinhos do Capitão.

Que grande diretor de cinema tu serias! Nunca pensaste nisto?

O que há de mais admirável nos teus desenhos é a luz – sobretudo nos teus desenhos em preto e branco: uma luz fosfórica, oxídrica, luz de lux perpétua, de limbos solares… Fazer um filme de ficção científica, é um dos meus velhos sonhos. Penso nisso desde sempre, pensava nisto bem antes destes filmes estarem na moda. Tu serias, sem dúvida, o colaborador ideal, entretanto não te chamarei jamais, pois tu és completo demais, tua força visionária é terrível demais. Então o que eu iria fazer nessas condições?

Eis porque, caro Moebius, te digo apenas isto: continua a desenhar fabulosamente para a alegria de todos nós.

Buon lavoro e buona fortuna

Federico Fellini