Por onde andará Floriano Hermeto?


No final dos anos 60 e início da década de 70, Guido Crepax e outros grandes autores de quadrinhos europeus eram quase inacessíveis para nós que vivíamos nesta pátria amada, idolatrada, salve, salve. Acontecia uma renovação conceitual nos quadrinhos do velho mundo e aqui, em terras tupiniquins, quase nenhuma novidade. Os personagens da Disney, os super-heróis e alguns clássicos como Fantasma, Mandrake, Recruta Zero, Nick Holmes e Cavaleiro Negro ainda dominavam as vendas em bancas. Foi quando um artista brasileiro começou a desenhar as aventuras de um personagem muito diferente nas páginas de uma certa revista da Ebal totalmente criada no Brasil. Esse artista era Floriano Hermeto, que escreveu e desenhou pouquíssimas aventuras de O Judoka, um herói brasileiro (cinco histórias, para ser exato). Floriano Hermeto era um cultuador dos quadrinhos e introduziu a linguagem gráfica inovadora de artistas como Guido Crepax, Jim Steranko e, até, Esteban Maroto. Ele foi um artista impar. Além de O Judoka, FHAF, como assinava suas histórias, realizou alguns boletins e seções informativas sobre quadrinhos de grande importância. E depois de ele deixar as páginas das revistas da Ebal, por volta de 1973, nunca mais vimos nada dele. Por isso fica aqui a pergunta: por onde andará Floriano Hermeto?

A imagem de cima é um papel de parede produzido com desenhos de FHAF extraídos de duas histórias: Gigantes de Apuarema, publicada na revista O Judoka, de março de 1971, e Irma la Douce, publicada em junho de 1971. Clique aqui para baixar mais wallpapers sobre a Ebal.
(Com colaboração de Franco de Rosa)

Anúncios

O Judoka, de Mario Lima

O Judoka, de Mario Lima
Mario Lima foi o segundo desenhista das histórias em quadrinhos de O Judoka, personagem criado por Pedro Anísio para a Ebal, cuja primeira história – O Shiram Mágico – teve o traço simples e inconfundível de Eduardo Baron. Mario também foi o desenhista que produziu mais histórias para o famoso super-herói brasileiro: 12 no total. A imagem que ilustra este texto é um papel de parede que fiz a partir da capa da revista O Judoka, nº10, publicada em janeiro de 1970. Para baixar este wallpaper, basta clicar na imagem.

Para ler mais sobre O Judoka, clique aqui. Para baixar mais wallpapers, clique aqui.

Mais um papel do Judoka

O Judoka, desenho de Eduardo Baron
Taí mais um wallpaper do super-herói brasileiro. Este foi feito a partir do desenho que mostrou a primeira aparição do Judoka na história que conta a origem do personagem – O Shiram Mágico –, escrita por Pedro Anísio e desenhada por Eduardo Baron e foi publicada no número 7 da revista O Judoka, edição de lançamento do personagem, em outubro de 1969, pela Editora Brasil-América.

Aguarde… em breve publicarei papéis de parede do Demolidor, Thor, Quarteto Fantástico e também um que homenageia Jack Kirby. Isso, só para começar…

Um super-herói brasileiro

O primeiro número da revista Judoka com o personagem criado no Brasil foi lançado em outubro de 1969. Na realidade, era a sétima edição dessa publicação, que em suas primeiras seis edições apresentou as aventuras de Judô Master, um personagem americano da Charlton Comics.

Judoka 7 - Ebal - Wallpaper

A seguir transcrevo o texto de apresentação do personagem brasileiro, que foi publicado na página 2 da revista:

“Quando resolvemos lançar um novo personagem, pedimos ajuda ao Pedro Anísio. Para quem não sabe, o Pedro já trabalhava conosco, desde longínquas e priscas eras – vem desde os tempos do Suplemento Juvenil, quando, ainda ajudante de tipógrafo, escrevia reportagens, contos e crônicas. depois, passou-se para as Rádios Tupi e Nacional, onde, durante anos a fio escreveu novelas. Ele, Ghiaroni e Hélio do Soveral foram, por mais de trinta anos, criadores de milhares de novelas radiofônicas. E os três fazem parte daquela geração do Suplemento Juvenil. Pois bem, foi ao Pedro Anísio, autor de muitas histórias escritas especialmente para a Ebal (Pedro Álvares Cabral, A Independência do Brasil, A Libertação dos Escravos, A História do Petróleo – uma publicada, outras por publicar), foi a ele que pedimos a “bolação” dos textos e situações do nosso novo herói – O Judoka. E o Pedro, como sempre, desincumbiu-se maravilhosamente. O homem é, mesmo, um dos grandes ficcionistas desta terra.

Os desenhos deste primeiro número foram feitos pelo Eduardo Baron, jovem artista de 22 anos, do nosso estafe de desenhistas, que se desincumbiu a contento. Vejam só que traço e que soluções ótimas ele teve. O Eduardo vai longe.”

O papel de parede (clique na imagem para fazer o download) reproduz a primeira revista com o personagem, cuja capa é um desenho do talentoso Monteiro Filho.