O deus do trovão: um super-herói Shell


O Poderoso Thor
foi um dos cinco Super-heróis Shell lançados em 1967 pela Ebal, e foi o único que estreou sozinho numa revista chamada de Álbum Gigante (acima o número promocional). Os outros quatro foram Capitão América e Homem de Ferro, que dividiam suas aventuras na revista O Capitão Z, e O Incrível Hulk e Príncipe Submarino, que chegaram na revista Superxis
Mas Thor tinha algo de nobre. Afinal, é um Deus vindo de Asgard. E era desenhado pelo fabuloso Jack Kirby.

O texto de apresentação do personagem foi publicado tanto na edição promocional, número 0, quanto no primeiro número da revista, lançado pela Ebal em outubro de 1967, e começava assim:

Quando as nuvens tempestuosas se fizerem ouvir através de estrondosos trovões, prestem atenção! Quando raios riscarem os céus, com seu rastro luminoso, observem cuidadosamente! O senhor desses elementos pode estar por perto, com seu magnífico martelo Uru, pronto a servir à causa do Bem! Saúdem o Príncipe dos Raios, deus do Trovão… o Poderoso Thor! Ele é filho de Odin e habita em Asgard, moradia dos deuses nórdicos, e, para lá chegar, tem que passar pela imponente Ponte do Arco-Íris!

Os Super-heróis Shell foram lançados no Brasil como parte de uma supercampanha publicitária patrocinada pela multinacional de petróleo, que consistia na distribuição das revistas promocionais (todas numeradas de ‘zero’) nos postos Shell. A campanha fez um enorme sucesso na época, e colocou os cinco personagens da Marvel “na onda” (como dizia a gíria da época), ajudando a promover também os desenhos animados de Thor, Capitão América, Homem de Ferro, Hulk e Namor na televisão.
 
Essas animações são um caso à parte. Totalmente baseadas nos quadrinhos, elas eram quase sem movimentos, praticamente uma sequência de desenhos que pareciam ter sido retirados das revistas. O que dava um ar tosco, mas que se tornou cult justamente por manter o mesmo traço dos grandes desenhistas que ilustravam os heróis.

Os desenhos animados também tinham uma peculiaridade divertida: a abertura de cada série apresentava o super-herói com sua música exclusiva, que era uma espécie de hino heróico. As músicas desses “hinos” foram compostas por Jack Urbont e a versão da letra foi adaptada para o português por Abdon Torres, que foi diretor da Globo e integrou a primeira equipe da emissora, responsável pela sua implantação.

Essas músicas também ficaram famosas e suas letras foram publicadas nas primeiras edições das revistas da Ebal. A do Thor era assim:

Onde o arco-íris é ponte,
Onde vivem os imortais,
Do trovão é deus guarda-mor
O barra-limpa,
O grande Thor

Sobre a capa da edição número 0 de Álbum Gigante, com a estréia de Thor, há uma curiosidade muito interessante. O desenho que ilustra essa capa nunca foi publicado numa história do Thor! Aliás, nem o personagem que você vê é o Deus do Trovão! Na verdade, aquele é o Demolidor disfarçado de Thor! Parece maluquice, mas não é. A história se chama “Em luta com o Deus do Trovão”, foi desenhada pelo genial Gene Colan com arte-final de J. Tartaglione, e foi publicada no Brasil na página 7 da revista O Demolidor #29, de agosto/setembro de 1971.

E tem mais um detalhe importante nesse desenho: como Thor é destro, o Demolidor se esqueceu de segurar o martelo Mjölnir com a mão direita, confusão corrigida logo na página seguinte. Pois é… quem diria: o Demolidor foi o super-herói que inaugurou a revista do Thor no Brasil. Coisas da Ebal.

Nos Estados Unidos, Thor estreou em agosto de 1962 na revista Journey into Mystery #83 (acima) e a capa foi desenhada por Jack Kirby e Joe Sinnott.

Anúncios

Os atores de Star Trek

Os atores de Star Trek - Clique para baixar este wallpaper
O site oficial de Star Trek divulgou as fotos dos principais atores do novo filme de Jornada nas Estrelas, dirigido pelo atual queridinho de Hollywood, J.J. Abrams. Aproveitei as oito imagens e fiz o papel de parede acima, que pode ser baixado, clicando-se nele. Em cada uma das fotos há o ator original caracterizado pelo personagem que interpretava na série clássica e, ao lado, o ator escolhido para a nova produção. Assim, no wallpaper aparecem:

James T. Kirk – William Shatner e Chris Pine (foto Christian Thomas/WireImage);
Uhura – Nichelle Nichols e Zoë Saldana (foto James Devaney/WireImage);
Spock – Leonard Nimoy e Zachary Quinto (foto Jeffrey Mayer/WireImage);
Leonard H. McCoy – DeForest Kelley e Karl Urban (foto Mark Sullivan/WireImage);
Montgomery “Scotty” Scott – James Doohan e Simon Pegg (foto Albert L. Ortega/WireImage);
Hikaru Sulu – George Takei e John Cho (foto Albert L. Ortega);
Christopher Pike – Jeffrey Hunter e Bruce Greenwood (foto Steve Granitz/WireImage);
Pavel Chekov – Walter Koenig e Anton Yelchin (foto Jim Spellman/WireImage).

Bravo! e Rolling Stone vêem os Simpsons

O amor entre pai e filho em Os Simpsons - Clique para baixar este wallpaperDuas conceituadas revistas de cultura e entretenimento editadas no Brasil, Bravo! e Rolling Stone, publicaram matérias ótimas sobre Os Simpsons que estão disponíveis na internet, sem restrição alguma. A primeira trouxe em suas páginas o texto cujo título pergunta, logo de cara, se “Os Simpsons” é arte?, de Ricardo Calil. Mas a matéria não deixa espaço para a dúvida do leitor, pois a resposta é dada imediatamente, no lidão: “Para filósofos, religiosos, psicólogos e cientistas, a resposta é ”sim”. Saiba por que eles levam tão a sério o desenho animado, que chega aos cinemas em seu primeiro longa-metragem“.

Bart nu skate - Clique para baixar este wallpaperJá texto da Rolling Stone, Simpsons na Telona, de Pablo Miyazawa, conta a visita do repórter aos estúdios de animação do filme 126 dias antes da estréia nos Estados Unidos. Era uma entrevista coletiva em que participaram David Silverman, o diretor do filme; os produtores executivos Al Jean e James L. Brooks; o roteirista Mike Scully; e Matt Groening, criador e também produtor executivo. O texto descreve a visita com detalhes refinados e, a certa altura, transcreve as palavras do produtor executivo, Al Jean sobre a incrível popularidade de Homer Simpson em diversos países: “Eu acho que o resto do mundo só gosta do Homer porque enxerga nele o estereótipo do típico norte-americano”. E a revista complementa: “O que não deixa de ser uma verdade”.

O filme dos Simpsons faturou mais de US$180 milhões em 45 dias de exibição nos Estados Unidos.

Para ler as duas matérias, clique nos respectivos links das matérias em vermelho (acima) ou nos nomes das revistas a seguir: Rolling Stone – Bravo!.

Para baixar os papéis de parede que ilustram este texto, basta clicar nas imagens. Para baixar outros wallpapers de Os Simpsons – O Filme, clique aqui, aqui e aqui.

Para ler mais sobre Os Simpsons, clique aqui.

Os Simpsons no cinema

Clique para fazer o download deste wallpaper
Como prometido aqui, taí mais outro papel de parede que fiz sobre uma imagem de divulgação de Os Simpsons – O Filme. Na cena, a famosa família está no cinema. Tomara que eles gostem do filme.
Em breve publicarei mais dois papéis de parede com o Bart e o Homer. É só aguardar mais um pouco. Por enquanto, leia mais sobre os Simpsons clicando no nome do filme (em vermelho) acima e visite o verbete sobre o filme na WikiSimpsons.
Ou veja mais papéis de parede de outros personagens, como:
Shrek | Corto Maltese | Transformers | Ratatoille | Homem de Ferro

A fúria do Hulk!

The Hulk!
Fiz este papel de parede a partir de uma das melhores capas da série de revistas The Rampaging Hulk!, que depois foi renomeada para, simplesmente, The Hulk!, publicada pela Marvel a partir de janeiro de 1977. O desenho espetacular é de Earl Noren, que também ilustrou diversas capas da revista The Savage Sword of Conan. Para ler mais sobre esta série do Hulk, clique aqui.

Uma família da pesada

Os SimpsonsVocê está doido para ver o filme da família mais legal da TV norte-americana dos últimos 20 anos? Então visite o site oficial do filme para ver os trailers e teasers, baixar wallpapers, conhecer Springfield e fazer outras coisas mais.

Mas não se engane: tudo isso é encontrado no link do site dos Estados Unidos. No link do Brasil só há um wallpaper e um trailer disponível (se bem que isso deve mudar com a aproximação da data de estréia do filme). De qualquer modo, o link norte-americano tem mais conteúdo; então vá direto lá para conhecer as novidades. Por enquanto são três wallpapers, o trailer e os diversos teasers.

E, se você quiser mais um papel de parede, clique na figura acima e baixe este que fiz bem antes de se saber que a série Os Simpsons iria parar nas telonas. Aliás, a grande tela dos cinemas é lugar ideal para se ver a grande estupidez de Homer Simpson!

Para ler mais, clique aqui.