O Reizinho e o Embaixador: irmãos de tinta

Esta imagem pode ser usada como papel de parede em seu computador. Clique nela e salve.

O simpático Reizinho (The Little King), criação imortal de Otto Soglow.

Criado por Otto Soglow, o simpático The Little King começou a ser publicado em 1931 na conceituada revista The New Yorker. Muito elegante e sofisticado, o traço de Soglow e seu Reizinho – como ficou conhecido no Brasil – logo chamou a atenção do magnata da imprensa americana,  William Randolph Hearst, que fez de tudo para ter o personagem em seus jornais, sob a tutela de sua distribuidora de conteúdo, a King Features Syndicate.

The Little King, by SoglowPorém, Soglow tinha um contrato de exclusividade com a revista para a publicação de seu personagem. Mas esse “pequeno detalhe” não impediu Hearst de ter o personagem… ou, pelo menos, ter um muito similar, afinal, quando esse chefão da imprensa americana queria uma coisa, ele sempre conseguia (ou quase sempre).

Como resolver o impasse? Soglow teve a ideia de criar um outro personagem com as mesmas características e estilo do Reizinho para que Hearst pudesse publicá-lo. Assim, em 1933, surgiu The Ambassador, que é praticamente um plágio de The Little King.

The Ambassador, tira publicada em 11 de fevereiro de 1934
The Ambassador 
foi publicado nos jornais de Hearst e distribuído pela sua empresa até o final do contrato de Soglow com a The New Yorker. Sua última aparição aconteceu no domingo, dia 2 de setembro de 1934, numa tira dominical na qual ele contracena com a mulher do Reizinho, estabelecendo um divertido crossover. Nela,o Embaixador recebe a Rainha, que lhe diz: “O rei está chegando em casa. Vamos encontrá-lo!”. No caminho há uma forte ventania e a coroa do Reizinho acaba caindo, ironicamente, na cabeça do embaixador. Essa foi uma sacada muito divertida de Soglow, fazendo uma ponte para o domingo seguinte, dia 9, quando The Little King finalmente estreou nas páginas dominicais dos jornais, distribuído pela King Features Sindicate.

The Ambassador se despede dos jornais em 2 de setembro de 1934Seu sucesso foi tão grande que, entre 1933 e 1934, O Reizinho estrelou uma série de desenhos animados criada pela Van Beuren Studios. Na década de 1950, The Little King foi publicado nos Estados Unidos, também em revistas em quadrinhos pela Dell Comics (como a historieta abaixo, de 1955). E em 1960, o personagem estreava numa revista mensal publicada pela Rio Gráfica Editora (RGE).

As histórias do personagem foram produzidas ininterruptamente até a morte de seu criador, em 1975.

Cartoon Monarch - Otto Soglow & The Little KingEm 2012, a IDW Publishing resgatou o personagem num livro de 432 páginas muito bem editado, chamado Cartoon Monarch – Otto Soglow and the Little King e pode ser encomendado no site da Amazon. Finalmente o trabalho do artista que inspirou uma geração de desenhistas ganha sua retrospectiva e poderá ser apresentado também às novas gerações. A IDW é a mesma editora responsável pela excelente coleção The Complete Chester Gould’s Dick Tracy, que publica desde 2006 todas as tiras de Dick Tracy desenhadas pelo seu criador, Chester Gould.

Para assistir a um dos desenhos clássicos do Reizinho, CLIQUE AQUI.

 

TheLittleKing-1945-9setTheLittleKing-1962-16dezntTheLittleKing-iceskating-1948-29fev

Todas as imagens que ilustram este texto podem ser ampliadas em boa resolução.

Anúncios

6 comentários sobre “O Reizinho e o Embaixador: irmãos de tinta

  1. Pingback: Iconográfico
  2. valdecir antonio muniz disse:

    Só me lembro que eu era muito criança e assistia os desenhos do Reizinho . e aquela sua roupa eu nunca esqueci kkk

  3. Lauro Schner disse:

    Nos idos da década de 1950 eu lia as colunas com os quadrinhos do reizinho no jornal Estado de São Paulo. Eram coloridos. E hoje sinto saudade daqueles quadrinhos do reizinho. Por que não há publicações dele nos jornais ou até mesmo a criação de uma revista do reizinho?

    • Francisco Ucha disse:

      Caro Athos
      Que bom receber um comentário seu em meu blog. As imagens desta postagem não estão aparecendo agora, mas mais tarde irei atualizá-la e incluir as imagens do Reizinho. Sou um apreciador de suas obras lançadas pela biblioteca do Senado e quero dar-lhe os parabéns por resgatar essas preciosidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s