Easy Ghost Rider


Já que as assessorias de imprensa das multinacionais de cinema que têm escritórios no Brasil não divulgam por aqui, com tanta antecedência, as imagens das produções que estão sendo finalizadas, nós, pobres tupiniquins, temos que recorrer aos sites dos Estados Unidos para conseguir o mesmo material fotográfico que já poderia ter sido liberado no Brasil. Estas duas fotos (em alta resolução) são do novo filme do Motoqueiro Fantasma. Nicolas Cage (abaixo, na foto de Jasin Boland) retorna ao desditoso personagem.

Fotos: © 2010 Columbia Pictures Industries, Inc. All rights reserved. 2011 Columbia Pictures Industries, Inc. All rights reserved.

Anúncios

X-Men no topo

CLIQUE AQUI PARA FAZER O DOWNLOAD DESTE WALLPAPER
Depois que publiquei o texto Homem Aranha encara os X-Men na Marvel, sobre a votação que elegeu as melhores revistas publicadas pela Marvel, percebi que ainda não havia feito nenhum papel de parede com o grupo de mutantes mais querido dos quadrinhos. Assim, aproveitei algumas digitalizações que fiz para criar estes dois wallpapers. O de cima foi feito com a imagem publicada na capa da edição especial X-Men – Deus Ama, o Homem Mata, lançada pela Panini Comics em maio de 2003. A história de Chris Claremont foi publicada em 1982 nos Estados Unidos com uma outra capa e teve arte de Brent Eric Anderson. O desenho da capa da edição brasileira não foi creditado (CLIQUE NO LINK DO TEXTO ACIMA PARA VER AS DUAS VERSÕES DAS CAPAS LANÇADAS NO BRASIL).

O papel de parede abaixo mostra o grupo clássico dos X-Men em sua segunda aventura. O desenho de Jack Kirby foi arte-finalizado por Paul Reinman para a abertura da história Ninguém Pode Deter o Vanisher! publicada nos Estados Unidos em novembro de 1963. Claro que tive que mexer na disposição dos personagens para que eles pudessem entrar no formato do papel de parede e aproveitei também para mudar o fundo original. Essa história está disponível no luxuoso livro Biblioteca Histórica Marvel – Os X-Men Volume 1, lançado pela Panini. Nele você encontrará as dez primeiras história dos X-Men, escritas por Stan Lee e desenhadas por Jack Kirby. Imperdível!
CLIQUE AQUI PARA FAZER O DOWNLOAD DESTE WALLPAPER
Para ver papéis de parede de outros personagens da Marvel incluindo Wolverine, Thor e Homem-Aranha,

O Homem-Aranha chega ao Brasil

Homem-Aranha 1 - Ebal - Clique para ampliar
Em abril de 1969, a editora Brasil-América lançava a revista em quadrinhos de um personagem que iria marcar gerações: o Homem-Aranha. O adolescente tímido, sem recursos financeiros e com superpoderes já era um sucesso nos Estados Unidos e estreava no Brasil dois anos depois dos primeiros personagens da Marvel chegarem por aqui. O texto que apresentava o personagem aos leitores, publicado na contracapa da revista, era bastante formal (como de costume), e a tia do personagem foi rebatizada como “Tia Maria”, como pode-se ver nos seguintes trechos selecionados:

“Peter Parker era apenas um recém-nascido quando perdeu os pais. Seus tios Ben e Maria o adotaram , dispensando-lhe todos os cuidados para torná-lo feliz e bem formado. Quando Peter concluiu os preparatórios, ingressou na universidade, pensando em tornar-se um cientista. (…) Certa vez, algumas aranhas sob contaminação radiativa escaparam do laboratório da universidade. Antes que todos os aracnídeos fossem recolhidos ou destruídos, um deles picou a mão de Peter, que chegou a se julgar irremediavelmente perdido.

Mas, com o passar dos dias, o jovem nada sentiu de extraordinário. (…) Então começou a perceber que algo fenomenal estava se passando com ele. Suas mãos pareciam ter adquirido uma estranha aderência às superfícies lisas, permitindo-lhe até escalar paredes verticais. (…) Era como se fosse uma aranha humana, com todos os poderes de um verdadeiro aracnídeo. Nesse estado, Peter possuia a força descomunal de um inseto, proporcionalmente ao seu tamanho. Além disso, podia lançar teias ou atirar-se de grandes alturas, caindo incólume.

Quando Tio Ben foi morto por um assaltante que invadiu a casa para roubar, Peter e Tia Maria ficaram sós e sem meios de subsistência. Então, o jovem imaginou exibir-se nos palcos para ganhar dinheiro honestamente.

Mais tarde, revoltado com a crescente onda de crimes que varria a cidade, e também porque Tio Ben fora vítima de um criminoso, Peter Parker enveredou na luta contra os malfeitores. Assim, imaginou um traje que passou a usar sob as vestes, adotando o cognome de O Homem-Aranha. Sob essa identidade, tornou-se temido. Inúmeras vezes, O Homem-Aranha tem colaborado com as autoridades, salvando vidas em perigo, lutando contra o submundo do crime ou usando sempre seus poderes para o Bem.”

A imagem do alto é um papel de parede que fiz com o desenho de abertura da primeira história publicada na revista O Homem-Aranha nº1, cuja reprodução da capa  aparece no detalhe. Para baixar este wallpaper, basta clicar nele. Para baixar fotos do filme do Homem-Aranha, clique aqui.